Cão com Medo de Fogos de Artifício – Como Lidar? | Inova Veterinária

Cão com medo de fogos de artifício. Como Lidar?

 

Entenda porque os pets sentem tanto medo dessas situações. Veja como tratar e lidar com cães com medo de fogos de artifício

 

Vai chegando o final de ano,  período de festas, Natal e Ano Novo, e o que é momento de festa pra alguns, pra outros pode ser de terror!

Nesse artigo, os parceiros da PET FISIO, separaram algumas dicas de como lidar com cães com medo de fogos de artifício e quais medidas são cabíveis para prepará-lo para esse período conturbado do ano.

O cão com medo de fogos de artifício é uma fobia muito comum entre os animais, principalmente em épocas de Réveillon, Natal e finais de campeonato. O barulho alto, repentino e o efeito de clarão que se forma no céu é assustador para eles! Mesmo o cão mais equilibrado e confiante pode estar sujeito a está fobia que os expõem a altos níveis de ruídos.

 

Por que o cão tem medo de fogos de artifício e os fortes ruídos que eles produzem?

cao-medo-fogos-de-artificio

Para treinar seu cão contra esses incômodos barulhentos é preciso compreender porque o cachorro sente tanto medo de fogos. O cão tem uma capacidade auditiva, de faro e paladar muito diferente do que nós humanos! Sim, no que cabe a sua capacidade auditiva o cão pode escutar 4 vezes mais do que nós, tendo a capacidade de distinguir a origem do som em até 6 centésimos de segundo mais rápido e escutando em até 45 mil hertz.

A precisão deles é inacreditável, chegando ao ponto de saber quando o dono está chegando em casa para ficar esperando no portão ou na porta do apartamento. Isso se dá pela sua enorme capacidade auditiva, conseguindo distinguir o barulho do motor do seu carro, seus passos e outra infinidade de peculiaridades.

Essa diferença também pode ser constatada no seu faro, sendo o sentido mais aprimorado do cão! Enquanto nós humanos temos em média 5 milhões de células olfativas os cães possuem em média 220 milhões, chegando em até 300 milhões em algumas raças, conseguindo distinguir até 40 tipos de odores ao mesmo tempo!

O que fazer para ajudar o meu cãozinho a lidar com o período de fogos de artifício?

Agora que já entendemos os motivos que fazem os cães terem medos de fogos, é importante saber lidar com a situação! Vejamos alguns procedimentos que podem ser feitos:

  • Uma boa medida preventiva é conversar com um adestrador sobre o problema e iniciar um treinamento para acostumá-lo a sons como os de fogos de artifício;
  • Uma das técnicas mais simples é colocar sons de fogos em dias tranquilos e de diversão, tentando relacioná-los a coisas e momentos bons do dia para que ele associe o barulho a algo positivo;
  • É importante entender, por mais difícil que seja, que acariciar, abraçar e proteger seu pet nesses momentos não vai ajudá-lo! Pelo contrário, o carinho vai incentivar o medo e fazer com que ele entende que é certo sentir aquele medo excessivo;
  • Caso ele queira estar em um lugar que se sinta seguro, mesmo que seja dentro de um local onde normalmente ele não vai, deixe que ele se esconda lá;
  • Abafar o som durante os fogos também pode ser uma tática positiva. Para isso, a televisão e ventilador são alguns aliados;
  • Procure manter a calma e não entrar na frequência de medo do seu cão! Lembre-se que os cães são experts em linguagem corporal e vão perceber se você só estiver fingindo ter calma;
  • Outra medida positiva para evitar o medo excessivo do cão é colocar algodão em seus ouvidos para que a intensidade do som seja menor;
  • É importante também que não deixe portões e portas aberta. Essa atitude é importante, pois muitos cães fogem sem destino em situações como essa;
  • Sempre mantenha a coleira do seu cão com identificação e telefone de contato;
  • Caso a ansiedade dele seja muito grande, leve-o para um homeopata para acompanhamento e progressão contínua de recuperação;
  • Converse com profissionais veterinários sobre o problema. Em casos considerados extremos, é possível que ele prescreva um tranquilizante para que o cão mantenha-se calmo;
  • Caso seja possível, evite deixar seu cão sozinho em situações como essas!


Fonte: Fisio Care Pet