fbpx

Hospital Veterinário 24h

Resultados de Exames

Hemoparasitose: conheça os perigos da doença do carrapato

A hemoparasitose, muito conhecida como “doença do carrapato”, pode trazer muitos perigos ao pet, podendo até mesmo ser fatal quando não tratada. Para entender mais sobre esse assunto, continue lendo o post que preparamos. O que é hemoparasitose? A hemoparasitose é uma doença séria, causada por protozoários ou bactérias, atingindo os pets pela corrente sanguínea. Esse problema ficou popularmente conhecido como “doença do carrapato”, já que o carrapato é um aracnídeo ectoparasita hematófago, que se instala no corpo do hospedeiro (no caso, o pet), picando-o e se alimentando do seu sangue, introduzindo assim bactérias e/ou protozoários. Aliás, é importante ficar atento, pois essa doença pode ser tanto uma hemoparasitose em cães, quanto uma hemoparasitose em gatos, afetando gravemente ambos os pets. Doença do carrapato: conheça os tipos Os principais hemoparasitoses em animais são: Erlichiose (bactéria - cães) A Erlichiose é transmitida por carrapatos e é a forma mais severa da doença, já que ataca os glóbulos brancos do sangue do pet, deixando o sistema imune comprometido. Hemobartonelose (cães e gatos) A Hemobartonelose pode ser transmitida por pulgas e carrapatos, afetando tanto cães como gatos e atacando os glóbulos vermelhos, causando anemia. Babesiose (protozoário - cães) A Babesiose é transmitida por carrapatos e ataca os glóbulos vermelhos do cão. Hemoparasitose humana também acontece? Muitas pessoas têm dúvida se os cães e gatos infectados transmitem a doença do carrapato aos seus tutores. Para essa pergunta, a resposta é não. Porém, os carrapatos infectados podem sim transmitir a doença aos seres humanos. Ou seja, nenhum pet é responsável pela transmissão da doença a não ser o próprio carrapato! Quem nunca ouviu uma história de alguém que foi passar o dia em uma chácara ou sítio e encontrou um carrapato em seu corpo? É dessa forma que um indivíduo pode contrair a doença, uma vez que com o carrapato infectado fixado em sua pele, vai se alimentar do sangue e transmitir bactérias e/ou protozoários do mesmo modo que acontece nos pets. É importante, nesses casos, conversar com um médico de confiança, já que algumas enfermidades podem ser silenciosas e demorar a apresentar sintomas. Hemoparasitose: sintomas Os sintomas mais frequentes de um pet infectado pela doença do carrapato são: Fraqueza; Cachorro com febre ou gato com febre; Perda de apetite; Cachorro vomitando ou gato vomitando; Dificuldades respiratórias; Apatia; Manchas avermelhadas na pele; Queda da imunidade, facilitando o aparecimento de outras doenças, dentre outros. De qualquer forma, é importante ficar atento (a) ao comportamento do pet, e ao sinal de qualquer mudança ou dos sintomas descritos acima, consultar um médico veterinário o mais rápido possível, já que essa doença costuma ser agressiva. O diagnóstico tanto da hemoparasitose em cães quanto da hemoparasitose felina é feito por meio de exames laboratoriais, como o de sangue, testes rápidos, testes sorológicos e PCR. Hemoparasitose: tratamento A hemoparasitose tem cura, desde que tratada adequadamente, já que em muitos casos ela acaba sendo fatal. O tratamento é feito por meio de medicamentos específicos, chamados babesicidas ou piroplasmicidas, combatendo tanto a causa quanto os sintomas da doença. A automedicação, assim como em outros casos, não é recomendada, uma vez que muitos medicamentos, em doses inadequadas, podem causar intoxicação nos pets, como a dipirona para gatos. Por isso, contar com um veterinário de confiança é o mais recomendado nesses casos, já que o tratamento de hemoparasitose em cães e gatos pode ser diferente dependendo do microorganismo que atacou o pet. Doença do carrapato: como prevenir? Sempre frisamos por aqui a importância da prevenção das doenças, e dessa vez não poderia ser diferente. Apesar de não existir uma vacina, é possível sim prevenir a doença com a aplicação periódica de antipulgas e anticarrapatos no seu pet, além de se atentar aos locais em que vocês passeiam e manter a higiene sempre em dia. E precisando de ajuda para cuidar da saúde do seu amiguinho, entre em contato com a gente!

A hemoparasitose, muito conhecida como “doença do carrapato”, pode trazer muitos perigos ao pet, podendo até mesmo ser fatal quando não tratada.

Para entender mais sobre esse assunto, continue lendo o post que preparamos.

O que é hemoparasitose?

A hemoparasitose é uma doença séria, causada por protozoários ou bactérias, atingindo os pets pela corrente sanguínea. 

Esse problema ficou popularmente conhecido como “doença do carrapato”, já que o carrapato é um aracnídeo ectoparasita hematófago, que se instala no corpo do hospedeiro (no caso, o pet), picando-o e se alimentando do seu sangue, introduzindo assim bactérias e/ou protozoários.

Aliás, é importante ficar atento, pois essa doença pode ser tanto uma hemoparasitose em cães, quanto uma hemoparasitose em gatos, afetando gravemente ambos os pets. 

Doença do carrapato: conheça os tipos

Os principais hemoparasitoses em animais são:

  • Erlichiose (bactéria – cães)

A Erlichiose é transmitida por carrapatos e é a forma mais severa da doença, já que ataca os glóbulos brancos do sangue do pet, deixando o sistema imune comprometido.

  • Hemobartonelose (cães e gatos)

A Hemobartonelose pode ser transmitida por pulgas e carrapatos, afetando tanto cães como gatos e atacando os glóbulos vermelhos, causando anemia.

  • Babesiose (protozoário – cães)

A Babesiose é transmitida por carrapatos e ataca os glóbulos vermelhos do cão. 

Hemoparasitose humana também acontece?

Muitas pessoas têm dúvida se os cães e gatos infectados transmitem a doença do carrapato aos seus tutores.

Para essa pergunta, a resposta é não. 

Porém, os carrapatos infectados podem sim transmitir a doença aos seres humanos. 

Ou seja, nenhum pet é responsável pela transmissão da doença a não ser o próprio carrapato!

Quem nunca ouviu uma história de alguém que foi passar o dia em uma chácara ou sítio e encontrou um carrapato em seu corpo?

É dessa forma que um indivíduo pode contrair a doença, uma vez que com o carrapato infectado fixado em sua pele, vai se alimentar do sangue e transmitir bactérias e/ou protozoários do mesmo modo que acontece nos pets.

É importante, nesses casos, conversar com um médico de confiança, já que algumas enfermidades podem ser silenciosas e demorar a apresentar sintomas. 

Hemoparasitose: sintomas

Os sintomas mais frequentes de um pet infectado pela doença do carrapato são:

Os sintomas mais frequentes de um pet infectado pela doença do carrapato são:  Fraqueza; Cachorro com febre ou gato com febre; Perda de apetite; Cachorro vomitando ou gato vomitando; Dificuldades respiratórias; Apatia; Manchas avermelhadas na pele; Queda da imunidade, facilitando o aparecimento de outras doenças, dentre outros.  De qualquer forma, é importante ficar atento (a) ao comportamento do pet, e ao sinal de qualquer mudança ou dos sintomas descritos acima, consultar um médico veterinário o mais rápido possível, já que essa doença costuma ser agressiva.   O diagnóstico tanto da hemoparasitose em cães quanto da hemoparasitose felina é feito por meio de exames laboratoriais, como o de sangue, testes rápidos, testes sorológicos e PCR.

De qualquer forma, é importante ficar atento (a) ao comportamento do pet, e ao sinal de qualquer mudança ou dos sintomas descritos acima, consultar um médico veterinário o mais rápido possível, já que essa doença costuma ser agressiva. 

O diagnóstico tanto da hemoparasitose em cães quanto da hemoparasitose felina é feito por meio de exames laboratoriais, como o de sangue, testes rápidos, testes sorológicos e PCR.

Hemoparasitose: tratamento 

A hemoparasitose tem cura, desde que tratada adequadamente, já que em muitos casos ela acaba sendo fatal.

O tratamento é feito por meio de medicamentos específicos, chamados babesicidas ou piroplasmicidas, combatendo tanto a causa quanto os sintomas da doença.

A automedicação, assim como em outros casos, não é recomendada, uma vez que muitos medicamentos, em doses inadequadas, podem causar intoxicação nos pets, como a dipirona para gatos.

Por isso, contar com um veterinário de confiança é o mais recomendado nesses casos, já que o tratamento de hemoparasitose em cães e gatos pode ser diferente dependendo do microorganismo que atacou o pet.

Doença do carrapato: como prevenir?

Sempre frisamos por aqui a importância da prevenção das doenças, e dessa vez não poderia ser diferente.

Apesar de não existir uma vacina, é possível sim prevenir a doença com a aplicação periódica de antipulgas e anticarrapatos no seu pet, além de se atentar aos locais em que vocês passeiam e manter a higiene sempre em dia. 

E precisando de ajuda para cuidar da saúde do seu amiguinho, entre em contato com a gente!

Você sabe quais são os cuidados que você deve ter com o seu amiguinho em cada estação do ano?    Baixe nosso infográfico e entenda tudo sobre o assunto!